Definição da educação terapêutica

Segundo a OMS, a educação terapêutica do paciente visa ajudar os pacientes a adquirir ou manter as competências de que necessitam para gerir da melhor forma a sua vida com uma doença crónica (www.has-sante.fr).

O que é a educação terapeutica ?

A educação terapêutica tem por objectivo melhorar o tratamento do paciente permitindo-lhe autonomizar-se, adquirir e conservar competências a fim de viver melhor a sua patologia.
O tratamento da dermatite atópica repousa essencialmente nos cuidados locais adaptados à extensão e à intensidade das lesões. Ele necessita uma competência que os doentes e seus familiares devem adquirir.
Entretanto, receios com relação a certos tratamentos (ex: corticofobia) ou a prioris (ex: responsabilidade do leite) estão na origem de um grande número de insucessos terapêuticos.
Mais do que uma informação bruta, o paciente e sua família desejam dispor de um tempo para exprimir suas dificuldades, suas crenças e seus receios. A educação terapêutica responde a esta expectativa.
Na maior parte do tempo a ETP é realizada por um grupo pluridisciplinar (consulta individual ou atelier coletivo).

Descarregar

Icône PDForientacoes-educacao-terapeutica-dermatite-atopica-pt.pdf

 

A educação terapêutica do paciente deu provas da sua eficácia em várias doenças crónicas (asma, diabetes, doenças cardiovasculares, dermatite atópica).

Inscreve-se numa dinâmica de qualidade de acompanhamento dos pacientes e permite motivar as equipas em torno de um projecto pluriprofissional.

Vários factores contribuíram para a emergência da educação terapêutica do paciente (ETP) 

  • O número crescente de pacientes afectados por doenças crónicas nos países desenvolvidos;
  • Uma estratégia de cuidados próprios da doença crónica, diferente das doenças agudas (o objectivo não é curar rapidamente mas manter um estado de saúde satisfatório a longo prazo, evitando as complicações da doença e melhorando a qualidade de vida);
  • Uma observação do tratamento globalmente baixa durante as doenças crónicas;
  • A vontade dos pacientes de participarem pessoalmente na escolha das estratégias terapêuticas e na gestão da sua doença;
  • A vontade dos profissionais de saúde de participarem, muitas vezes dificultada pela doença crónica.

A ETP em dermatologia

Muitas das doenças crónicas com fortes repercussões na qualidade de vida exprimem-se a nível da pele (dermatite atópica, psoríase, genodermatoses, dermites das mãos, etc.).
É reconhecido o seu impacto na imagem pessoal e na qualidade de vida dos pacientes afectados.
Estas doenças exigem tratamentos locais fastidiosos e repetitivos, que requerem por parte do paciente e daqueles que o rodeiam competências específicas e um investimento psicológico e material.
Para ajudar os profissionais de saúde a implementar a ETP, é necessário propor um guia específico das doenças dermatológicas.

Icône PDFpractical_guide_to_therapeutic_education.pdf